Deputado Rafa Zimbaldi apresenta projeto de lei para denominar AME de Campinas com o nome de Padre Haroldo

O Deputado Estadual Rafa Zimbaldi protocolou nesta segunda-feira (02/12), na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, um Projeto de Lei que denomina “Padre Haroldo Joseph Rahm”, o Ambulatório Médico de Especialidade (AME) de Campinas e uma indicação ao governador João Dória para que inclua o nome do padre na denominação do “Programa Recomeço”, do governo do Estado, destinado ao enfrentamento da dependência química.

“Estive, pela última vez, com o Padre Haroldo em outubro deste ano e, como em todas as vezes que estivemos juntos, tive uma lição de amor ao próximo, dedicação à uma causa tão importante e séria para nossa sociedade, como é enfretamento e combate às drogas. Com o seu falecimento, nada mais justo do que deixar seu legado eternizado com essas homenagens de denominação”, afirma Rafa que esteve no Instituto para fazer a entrega simbólica de um cheque no valor de R$50 mil reais, fruto de um emenda parlamentar do deputado e que servirá para a compra de automóvel para o órgão.

Padre Haroldo, missionário americano, naturalizado brasileiro, faleceu aos 100 anos no último dia 30. Ele era reconhecido internacionalmente pelo trabalho no acolhimento de dependentes químicos, realizado pelo instituto que leva seu nome, que tem mais de 40 anos de atuação e é responsável pelo atendimento de 2 mil pessoas, além das 360 crianças que são assistidas com um trabalho de prevenção.

“Como presidente da Frente Parlamentar de Prevenção, Enfrentamento e Combate às Drogas na Alesp, fico lisonjeado em poder ter convivido com o Padre Haroldo e também poder dar continuidade à sua bandeira, seja destinando recursos para o instituto, seja realizando o trabalhos pela frente”, finaliza Rafa.

Tanto o projeto como a indicação estão tramitando na Alesp e devem seguir os ritos padrões até a conclusão dos processos.

História:

Nascido em 22 de fevereiro de 1919 na cidade de Tyler, no estado do Texas, nos Estados Unidos, Padre Haroldo foi tenente do Exército quando descobriu sua vocação religiosa. Ele chegou a pensar que sua missão seria lutar por uma sociedade melhor com armas, quando a Segunda Guerra Mundial começou, mas acreditou em um plano maior.

Nos Estados Unidos, Haroldo já desenvolvia, desde jovem, trabalhos sociais com jovens que viviam na fronteira com o México.

Em 1965, o missionário chegou ao Brasil e naturalizou-se brasileiro em 1986, participando de diversas ações solidárias e aliando-se a outros religiosos.

Em 1978, Haroldo Rahm, motivado pelo alcoolismo do próprio pai, ele fundou a entidade filantrópica “Associação Promocional Oração e Trabalho” (APOT), que em 2009 foi rebatizada com seu nome pela diretoria, para auxiliar os dependentes químicos. Padre Haroldo ministrou dezenas de cursos, recebeu diversos prêmios e possui 58 livros escritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *